Poemas de Alexandre O'Neill

Velha fábula em bossa nova

 

Minuciosa formiga

não tem que se lhe diga

leva a sua palhinha

asinha, asinha.

 

Assim devera eu ser

e não esta cigarra

que se põe a cantar

e me deita a perder.

 

Assim devera eu ser

de patinhas no chão,

formiguinha ao trabalho

e ao tostão.

 

Assim devera eu ser

se não fora não querer.

 

In Poesias Completas

Amália Rodrigues canta “Velha fábula em bossa nova”

 

 

 

 Há palavras que nos beijam

 

Há palavras que nos beijam
Como se tivessem boca.
Palavras de amor, de esperança,
De imenso amor, de esperança louca.

Palavras nuas que beijas
Quando a noite perde o rosto;
Palavras que se recusam
Aos muros do teu desgosto.

De repente coloridas
Entre palavras sem cor,
Esperadas inesperadas
Como a poesia ou o amor.

(O nome de quem se ama
Letra a letra revelado
No mármore distraído
No papel abandonado)

Palavras que nos transportam
Aonde a noite é mais forte,
Ao silêncio dos amantes
Abraçados contra a morte.

Mariza – “Há Palavras Que Nos Beijam” – Palácio Nacional de Queluz, 2005

 

 

Cristina Branco canta o fado: “Há Palavras Que Nos Beijam”

 

Poema declamado por Luís Gaspar, conforme apresentado no Miradouro de Poesia

 

 Gaivota

 

Se uma gaivota viesse
trazer-me o céu de Lisboa
no desenho que fizesse,
nesse céu onde o olhar
é uma asa que não voa,
esmorece e cai no mar.

Que perfeito coração
no meu peito bateria,
meu amor na tua mão,
nessa mão onde cabia
perfeito o meu coração.

Se um português marinheiro,
dos sete mares andarilho,
fosse quem sabe o primeiro
a contar-me o que inventasse,
se um olhar de novo brilho
no meu olhar se enlaçasse.

Que perfeito coração
no meu peito bateria,
meu amor na tua mão,
nessa mão onde cabia
perfeito o meu coração.

Se ao dizer adeus à vida
as aves todas do céu,
me dessem na despedida
o teu olhar derradeiro,
esse olhar que era só teu,
amor que foste o primeiro.

Que perfeito coração
no meu peito morreria,
meu amor na tua mão,
nessa mão onde perfeito
bateu o meu coração.

 

 Amália Rodrigues canta a “Gaivota”

 Amália Hoje – “Gaivota”